29 de fevereiro de 2016

Sobre Controle de Pragas

Primeiramente eu gostaria de "desdemonizar" as pragas. 

Sim. São bichinhos como qualquer outro, parte da natureza. Descompensados em quantidade e sem predadores suficientes para controlar seu número, foi o ser humano que alterou todo o equilíbrio e gerou a catástrofe de vê-los comendo plantações inteiras.

Pronto, falei. 
E agora que você já sabe de quem é a responsabilidade, podemos começar a falar do controle.

Há bichinhos e bichinhos. 
Em uma quantidade pequena, pode não influenciar em nada a cultura que você faz em casa... Pois atraindo joaninhas e outros insetos maiores, encarregam-se a si mesmos de comerem uns aos outros e se manterem em equilíbrio.

[Equilíbrio. Se a gente soubesse de verdade o que é isso, 90% dos problemas e doenças não existiriam. Ou mais.]






Mas já que "o que tem pra hoje" é muito concreto e pouco verde, poucos passarinhos e poucos predadores, às vezes a gente tem, sim, que dar uma mãozinha para as plantas não fenecerem nas bocas de seres ridiculamente pequenos.

A nossa cultura imediatista leva muitas pessoas a pensar logo em um veneno para deixar suas plantas "livre de pragas". Só que esse veneno mata tudo, inclusive os microrganismos benéficos, e só contribui para o caos a longo prazo.

Então, quando não tem jeito, a solução é optar por receitas menos agressivas, mais naturais, e aqui eu vou compartilhar com você algumas delas.

Antes, quero conversar sobre duas coisas que me chamaram muito a atenção durante a aula na Escola Municipal de Jardinagem de São Paulo, há vários anos atrás.

Uma delas é que a gente deve usar a substância escolhida borrifando-a sobre as áreas afetadas das plantas, a cada 5 a 7 dias, mas nunca por mais de 3 semanas seguidas.

Então, funciona assim: Você faz o preparo da substância, aplica sobre a planta, espera 5 a 7 dias, aplica de novo, espera mais 5 a 7 dias, aplica de novo. Nesse período de tempo, entre uma aplicação e outra, os bichinhos devem diminuir de número, sinal de que o tratamento está funcionando.

Aqui é que é necessário prestar atenção: Se após 3 semanas de aplicação o problema tiver diminuído, mas não tiver sido totalmente resolvido, você deve trocar a substância aplicada por outra diferente.

É muito importante "seguir essa dieta", para que o inseto não crie resistência àquela primeira substância (ou seja, para você não criar seu próprio inseto mutante).

A outra coisa que me chamou a atenção é que a professora, para cada tipo de microbichinho que citava, relacionava algumas alternativas de defensivo a ser aplicada... E uma delas aparecia em quase todos os casos. 

Ácaro, maria fedida, pulgão, percevejo, cochonilha, bicho mineiro ou inseto geográfico, todos eles carregavam como alternativa uma mesma mistura que poderia ser aplicada: óleo de neem com óleo mineral.

A receita divulgada pela escola leva as seguintes proporções:
1 colher de chá de óleo de nem
+1 colher de chá de óleo mineral
+1L de água

É uma mistura coringa que a gente deve guardar na manga, sempre funcionou para minhas plantas. E ainda assim quero compartilhar com você a experiência da Adriana.

Porque eu acredito na jardinagem como na gastronomia: cada pessoa que dá seu toque pessoal a uma receita pode obter sucesso, mesmo usando um meio diferente. É o que faz disso uma cultura enriquecedora. A Adriana fez do seu próprio jeito, e narra aqui seu resultado:

"Eu tenho uma arvorezinha em um vaso, um arbusto, e, do meu jardim, é a que mais pega pulgão e cochonilha. Eu já tinha tentado usar óleo de neem, fumo de corda e até venenos. Teve um veneno pesado que funcionou, mas eu não queria continuar com ele... Porque, afinal, era veneno, agrotóxico mesmo.
Quando eu aplicava só óleo de neem, os bichos voltavam muito rápido, em menos de uma semana. Tentei intercalar neem, fumo e veneno, mas sempre voltava muito rápido.
Aí a Leticia me contou da receita de misturar óleo de neem com óleo mineral, e isso deu muito certo.
A proporção que eu usei para preparar o óleo de neem foi a indicada na embalagem. São 3 tampinhas para cada 1 litro de água,e eu acrescentei 1 tampinha de óleo mineral. Então, a proporção que eu usei entre o óleo mineral e o de neem é de 1 pra 3. E deu muito, muito certo. Demorou um mês para eu ter que fazer uma reaplicação.
Mas gostaria de dizer que eu apliquei isso em outras plantas e, dependendo do tipo de folhagem, ela "queima" (as folhas ficaram queimadas); acredito que possa ser o óleo depois de entrar em contato com o sol. 
O que eu reparei é que funcionou muito bem quando eu apliquei nas folhas que já são brilhantes, lisas, geralmente verde-escuras... Mas que as folhas opacas, essas ficaram um pouco queimadas."

Eu quis compartilhar isso com você porque achei muito lindo o senso de aventura e experimentação que a Adriana resolveu assumir. Ela traz à tona a forma "sem medo de ser feliz" de manifestar seu carinho pelas plantas, além de ter autorizado a publicação de suas experiências para que outras pessoas (você) possam se tornar um pouco mais sábias a partir de sua pequena aventura.

Uma vez que os pulgões e cochonilhas costumam se alojar na parte de baixo das folhas e nos talos, quando tratamos de vasos podemos procurar tomar o cuidado de borrifar a substância priorizando as áreas mais afetadas, evitando a parte superior das folhas, para não queimá-las.

[É também interessante notar que folhas lisas e verde-escuras são características bastante comuns em plantas de meia sombra.]

Voltando aos cuidados, como foi dito anteriormente, se uma certa mistura é usada muitas vezes seguidas pode-se gerar resistência a essa substância no inseto. Portanto, se após 3 semanas o problema não estiver completamente resolvido, troque a receita, use variações sempre que necessárias.

E, como o que eu quero é que você também tenha suas próprias (boas) experiências, eu deixo abaixo algumas outras receitas para você usar ;)

Cada uma dessas misturas pode ser pulverizada sobre as áreas afetadas das plantas 1x/semana. O intervalo pode ser menor, conforme a gravidade, mas nunca menos de 2 dias.

Após a pulverização, evite banhar as folhas por 3 dias (regar a planta só no pé). Evite também aplicar em dias chuvosos.

Que você tenha bons plantios, boas experiências e muito verde saudável na vida :)


Tintura de fumo
5cm de fumo de corda cortadinho
1L de álcool (comum ou de cereais)
Deixar 10 dias em repouso sem claridade (embrulha em jornal)
Coar em filtro de pano ou de café
Usar 1 parte da tintura para 10 partes de água (diluir somente na hora de usar, não guardar diluído)
Validade: 6 a 8 meses


Calda de sabão de coco
2 colheres de sabão de coco ralado em 1L de água
Usada para dar aderência das outras caldas à planta. (exceto quando usa óleo mineral)


Calda de alho e cebola
Utilize cascas de alho e cebola, os restos da cozinha. 
Ferver em água e pulverizar sobre as folhas depois que esfriar.


Calda bordalesa – para doenças fúngicas
30g de cal virgem (aprox. 3 colheres de sopa)
30g de sulfato de cobre
5L de água








19 de fevereiro de 2016

Um Pedacinho de Natureza é Você

Eu tenho um sonho. Eu sonho com uma humanidade saudável e integrada à sua Mãe Natureza. Eu acredito que todos nós, seres vivos, temos um ponto de equilíbrio.

Acredito que somos, cada um, uma célula de um corpo maior, chamado Terra.

No filme Matrix, dos irmãos Wachowski, a humanidade é citada como um vírus: age desreguladamente até destruir o organismo que lhe dá hospedagem e alimento. E, infelizmente, se olharmos em volta perceberemos que muitos seres humanos agem exatamente dessa forma. Mas seremos todos assim? 

Pensa em um organismo que tem vida em toda a sua superfície, que regula o solo, o crescimento das plantas, as florestas e desertos... Que tem água doce, água salgada, água brotando do chão e seguindo até o oceano e depois indo pro ar... E que tem ar, correntes de vento constante dando voltas em si, fechadas em uma atmosfera própria e limitada, tudo em equilíbrio... O acaso seria muito poderoso se isso tudo dependesse só dele, não? E não merece respeito a consciência reguladora que está por trás desse equilíbrio?

Agora imagine uma célula do seu corpo... Uma célula da sua superfície, da sua pele... Imagine que ela resolve que é mais inteligente do que o restante do corpo todinho e que então ela pode escolher funcionar da forma que ela bem entende... Essa célula é meio idiota, né?

Você sabe que essa doença chamada câncer é originada simplesmente por uma célula idiota no corpo, que resolveu funcionar de uma forma diferente e absurda, sem nenhuma explicação plausível? Pois é. É assim.

Você, eu, cada pessoa tem a escolha de agir harmoniosamente, fluindo com o todo, com a vida do planeta... E, quando se garante o funcionamento de todo o sistema, garante-se a própria nutrição, a hospedagem, a vida, porque é esse sistema maior que está proporcionando o alimento, a água, o barro para o tijolo da casa.

E é por isso que nossa escolha, como indivíduos e como humanidade, é simples como a escolha de uma célula de nosso corpo.

É por isso que um Jardim Planetinha nos lembra do equilíbrio do todo. Nos lembra do corpo maior do qual fazemos parte <3



foto: Gonzalo Cuellar


Essa casa, chamada Terra, é a única que temos. Vamos amá-la mais? 

<3




Para participar da próxima turma do Curso de Jardins Planetinhas, inscreva-se aqui:


>>> Curso de Jardins Planetinhas



*

15 de fevereiro de 2016

Coisa Linda: Um Aplicativo para Horta em Casa

Uma Luz sobre seus plantios! 
Achei essa ideia genial e é um ótimo complemento ao Curso de Horta para Pequenos Espaços.

Criado em Portugal, e recém "saído do forno", esse é um aplicativo que ajuda quem quer ter horta em casa. 

Possui uma série de hortícolas e ervas aromáticas e apresenta informações como quando semear, quanto tempo até colher, tipo de solo... E ainda tem sugestões de receitas para você apreciar sua própria produção <3

Quer mais? Ele é gratuito :)
E tem versão para IOS e Android

>>> Link para Apple Store: IOS
>>> Link para Play Store: Android

E foi desenvolvido por essa empresa portuguesa chamada Plantit, que também é uma grande propagadora dessa atitude tão importante que é retomar o contato com a terra, os ciclos e a origem dos alimentos.

Espero que você aproveite para sanar suas dúvidas e ter cada vez mais alimentos pertinho de você! 

Um abraço de Luz,

Leticia Momesso
Criadora e Idealizadora da Peperômia Urbana

PS: Se você não assistiu ao Curso de Hortas Pequenos Espaços ainda, aproveite!
Você tem 7 dias grátis ;)

>>> Curso Online de Hortas para Pequenos Espaços





2 de fevereiro de 2016

Agricultura Orgânica e o Golpe da Mídia

Hoje eu dei uma entrevista para um canal de TV. Não houve repórter cortando minha fala, nem conduzindo a conversa por caminhos escusos ou maliciosos. Me surpreendi.

Vou lhe explicar por que:

Entre tantos assuntos que são tabu, um que eu tenho particularmente engasgado é a tal da mídia.

Acredito que atualmente há uma necessidade geral de "detox midiático". Acredito, sinceramente, que metade das doenças de metade da população deixam de existir só por se desligar a televisão. Desligar da tomada, mesmo.

O conteúdo é feito para impressionar. Notícia boa não dá ibope.

Se você ligar, lhe jogam morte, violência e medo, em qualquer horário do dia. Sobre seu café da manhã. 

Sabe o que isso faz e você nem percebe? 

Só pra começar o assunto, isso elimina todo o senso de poder pessoal que você tem. Destrói sua autoestima.
Joga sua energia para um nível ridiculamente baixo.
Deixa você se sentindo vulnerável diante de um mundo ameaçador.
Desune, separa.
E então manipula.

Cada um desses ítens tem um desdobramento que termina em consumo de algo anunciado pela TV. Você compra roupa, maquiagem para tentar recuperar seu poder pessoal e auto estima. Vitamina, energético e remédio para sanar a falta de energia. Você compra segurança porque o mundo lhe ameaça; compra jogos, aplicativos, video game, mais TVs, porque se sente solitário.

É uma receita infalível, uma roda de fortuna que rende bilhões em dinheiro nas mãos de uns poucos. Pensa que seis famílias controlam 70% da imprensa brasileira e você começa a entender do que eu estou falando.

Hoje eu respirei aliviada, quando terminei de gravar um programa em que nada disso acontece. Uma emissora pública, sem os mesmos fins lucrativos. Uma repórter doce, um foco real de compartilhar informações benéficas. Foi incrível.

Mas o alívio só durou até eu voltar ao "mundo real", quando vi o que passou naquela outra emissora que detém a atenção e o bom senso de milhões de pessoas. Não vou nem citar o nome, você sabe qual é.

Não vi o programa. Há mais de 15 anos eu não assisto. Não tenho TV em casa. Mas pelo que entendi, o foco era descreditar a venda de produtos orgânicos

A internet está aqui, presente, para desmascarar o jogo... Me trouxe informações sobre o que foi veiculado de forma injusta no domingo à noite e eu quero compartilhar o que é mais lúcido e honesto com você:

"O fato é que a reportagem deu destaque a uma prática desonesta na venda de produtos orgânicos, mas não abordou os/as milhares de agricultores e agricultoras brasileiras dedicadas à produção agroecológica, que atuam além da produção de alimentos saudáveis, contribuindo para a conservação dos solos, das águas, e da biodiversidade. Sem dúvidas uma fiscalização mais eficiente é necessária, mas é importante que essa denúncia e as investigações sejam feitas pelos órgãos competentes de maneira a não gerar confusão para as pessoas e não sejam prejudicados aqueles que atuam no campo de maneira séria, sem usar agrotóxicos e investindo numa agricultura que é a saída para uma alimentação saudável. As feiras orgânicas e agroecológicas são importantes equipamentos públicos de abastecimento alimentar nas cidades, uma alternativa aos produtos envenenados de grandes produtores vendidos em supermercados, e não devem ser criminalizadas pelos atos irresponsáveis de uma minoria.
"Faltou ouvir e apresentar a posição de inúmeras Redes, Fóruns, Articulações, Associações, ONGs, entidades de assessoria técnica e principalmente famílias agricultoras agroecológicas e orgânicas do país que trabalham com ética, respeito e principalmente compromisso com a saúde e a vida de quem consome seus produtos."

Então... Uma empresa que financia os ruralistas (aqueles que desmatam florestas nativas a fim de transformar em pastos e monocultura; aqueles que há 500 anos mantém a prática de dizimar povos nativos em nome do lucro) lhe traria informações positivas e verdadeiras sobre agricultura familiar orgânica?

É hora de retomar seu poder e usar o botão "desligar" de seu aparelho de televisão. É hora de abrir os olhos e escolher os hábitos que realmente vão lhe trazer saúde e prosperidade.

Para a resposta completa ao que foi transmitido, leia aqui.

"A mídia é igualzinha à língua da vizinha", já cantavam os Novos Baianos.


OBS: Nosso Curso de Horta em Pequenos Espaços: http://bit.ly/edukhorta