21 de dezembro de 2011

Planta no tubo





Fizemos de um tubo de alumínio um vaso interessante


com altura de 10cm e largura 4cm.




Plantamos uma planta resistente e nativa que traz consigo 


essa aparência de 'descabelada', para contrastar com 


as linhas retas e longilíneas que o alumínio apresenta.




13 de dezembro de 2011

12 de dezembro de 2011

Jardim Suspenso de Pimenteiras

Pimenteiras suspensas em uma varanda, em vasos (feitos de pet) cobertos de chita. 
Os botões das flores estão despontando... logo teremos pimentas!



24 de novembro de 2011

Bazar Vegano


Estaremos expondo 

Jardins suspensos da Peperômia

Acessórios vivos e

outros mimos

ao lado de muitas coisas interessantes que não se encontram nos shoppings...


Venha! :)

7 de outubro de 2011

Clorophyto


Quer respirar melhor onde vive?


Comprovado por estudos científicos internacionais,        o Clorofito é um ótimo agente despoluente,       indicado como alternativa a sistemas complexos e caros de tratamento do ar de ambientes internos.



A poluição do ar de ambientes internos é um dos maiores riscos à saúde pública do mundo, e pessoas em países industrializados passam cerca de 80% a 90% de seu tempo em ambientes fechados.
Poluentes em ambientes internos podem existir não só por infiltração do ar externo, mas também por compostos liberados por equipamentos como copiadoras, impressoras a laser, iluminação ultravioleta, materiais de construção, móveis, cigarros, detergentes, desinfetantes, entre outros.
A exposição a poluentes em ambientes internos é a principal suspeita de causas de cefaleia, letargia, dor nos olhos e problemas respiratórios em pessoas que trabalham em escritório. Os maiores efeitos tóxicos dessa exposição são alterações nas funções pulmonares, edema pulmonar, hemorragia, inflamação e lesões extensivas no tecido pulmonar, traqueia e brônquios superiores. Segundo estimativa da ONU de 1998, mais de dois milhões de pessoas morrem por ano por causa do ar deletério de ambientes internos.
Pesquisas feitas em laboratórios concluem que determinadas plantas em ambientes fechados, especialmente o clorofito (Clorophytumcomosum L.), reduzem significativamente a presença de poluentes no ambiente, chegando a zerar alguns componentes insalubres em questão de horas.
Componentes poluentes do ar são absorvidos pelas folhas e raízes das plantas. Nas raízes, microrganismos do solo quebram os gases transformando-os em fonte de alimento e energia. Por meio da respiração, as folhas liberam fitoquímicos voláteis, que são importantes para o controle de micróbios aéreos e esporos de fungos no ar circundante.
Além de adicionar beleza ao recinto e torná-lo um espaço convidativo para viver e trabalhar, as plantas aumentam a umidade do ar e reduzem a poeira, trazendo mais conforto e bem-estar. Pesquisas comprovam que quando as pessoas estão próximas ou cuidam de plantas, elas se sentem relaxadas e calmas. Plantas de ambientes internos diminuem sintomas relacionados à falta de saúde e desconforto. No local de trabalho, os benefícios que as plantas trazem incluem a melhoria do estado de espírito e humor dos funcionários, o aumento da produtividade e a redução de faltas.
Por tudo isso é que a Peperômia e o Projeto Clorophyto prepararam para você esses vasos de clorofitos superpoderosos na limpeza do ar. Sustentabilidade também é respirar bem, ter saúde e disposição para a vida.

“A paz interna é a base mais sólida para a paz mundial”


Para saber mais:
Using Houseplants To Clean Indoor Air
Kent D. Kobayashi, Andrew J. Kaufman, John Griffis, and James McConnell1
Department of Tropical Plant and Soil Sciences, 1University of Guam (University of Hawaii at Manoa)

Effectiveness of Houseplants in Reducing
the Indoor Air Pollutant Ozone
Heather L. Papinchak1, E. Jay Holcomb2,4,
Teodora Orendovici Best3, and Dennis R. Decoteau2
http://www.personal.psu.edu/drd10/Site/Publications_files/Indoorairplants.pdf


PLANT/SOIL CAPACITIES TO REMOVE HARMFUL SUBSTANCES FROM
POLLUTED INDOOR AIR
R.A.Wood, M.D.Burchett RA Orwell, J Tarran, F Torpy
Plants and Environmental Quality Group, Centre for Ecotoxicology, UTS,
Westbourne St, Gore Hill, NSW 2065  Australia

Detoxification of Formaldehyde by the
Spider Plant (Chlorophytum comosum 1.) and by Soybean
(C/ycine max 1.) Cell-Suspension Cultures'
Martina Ciese, Ulrike Bauer-Doranth, Christian Langebartels, and Henrich Sandermann, Jr.*
Oberschleissheim, Germany

Formaldeído

IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO DE FORMALDEÍDO EM AMBIENTES
HOSPITALARES UTILIZANDO O REAGENTE FLUORAL “P” E DETECÇÃO ESPECTROFLUORIMÉTRICA
Heloisa L. C. Pinheiro, Djane Santiago de Jesus, Fabiany Cruz



26 de julho de 2011

Acessórios Vivos


                             Mini jardins

       

              Colares vivos.








                                    


  


                 



20 de junho de 2011

Jardim Urbano Interno IV



Com a reciclagem de embalagens, a rusticidade da juta e a alegria da chita, transformamos uma pequena área do apartamento, que estava esquecida e feia, em um espaço bonito e útil.

Foram plantadas mudas de manjericão, alecrim, orégano, boldo e pimenta em vasos com reservatório, que não deixa o excesso de água ir pro chão.

"Neste espaço eu mal punha o pé, nunca ficava aqui além do necessário. Agora venho até mesmo sem motivo, ou para ter uns minutinhos de relaxamento, fico olhando as plantas... O jardim trouxe vida a esta parte da casa", declarou uma das moradoras.

Jardim Urbano Interno III



Aproveitando a janela iluminada...

Acima, quando foi instalado,
abaixo, após alguns meses




8 de fevereiro de 2011

Jardim Urbano Externo I

Tudo começou com a idéia de melhoramento estético de uma rua onde todas as casas estão de frente para um mesmo muro feio e mal cuidado. Apaixonada por jardins verticais desde que os conheci, e louca para interferir nesse muro feio há bastante tempo, combinei a idéia da reutilização de garrafas e outros recipientes com a idéia de uma maior harmonia aos moradores que todos os dias dão de cara com o muro assim que saem de casa.

Contei com a ajuda do Gugão, que deu um empurrão inicial e acabou virando um companheiro nessa jornada, e de alguns dos moradores da rua que aos poucos foram chegando, apoiando, doando areia, recipientes, trazendo mudas, ajudando na mão-de-obra de lavagem, pintura e de pendurar os 'vasos'.

Juntei uma turminha de crianças em uma oficina de sementeiras e de transformação de garrafas pet que ainda não foram para o muro, mas irão em breve.

Posto aqui algumas fotos de antes e depois, um alívio ao olhar de quem passa e de quem mora. O jardim segue crescendo!






Jardim Urbano Interno I


A proposta: fazer uma divisão na sala com as chefleras de um vaso que precisavam ser replantadas, utilizando o máximo de materiais que já foram usados (reutilização de materiais descartados).

Como alternativa a vasos comuns comprados prontos, utilizamos duas caixas de laranja, de madeira. Pintamos de branco devido ao estado em que as caixas se encontravam e fizemos um forro interno com lona e um ‘ralo’, feito com uma parte de um tubo de creme dental vazio.



Para a drenagem, usamos isopor picado, daqueles que vem em caixas de eletrodomésticos e que também costumam ser descartados.

Plantas em casa

“Estudos da NASA indicam que as plantas retiram do ar os poluentes mais comuns, como formaldeído, tricloroetileno e benzeno, e também ajudam a balancear a umidade atmosférica.”

“Segundo estudo realizado pela Universidade Estadual de Washington, as plantas não só melhoram a qualidade do ar, como podem aumentar a produtividade de uma empresa (foi constatado um aumento de 30% na produtividade, além de uma redução do estresse dos funcionários).”

As plantas embelezam e trazem alegria e saúde ao ambiente, com baixo custo e eficiência.
É importante atentar para as condições do ambiente (sua casa/quintal/escritório) antes da escolha das espécies a serem introduzidas: luz, espaço para desenvolvimento das raízes e parte aérea, umidade do ar, temperatura e correntes de ar.

Fonte:  Da Planta ao Jardim – Assucena Tupiassú

Cidades mais verdes

ONU-Habitat diz que cidades precisam ser mais verdes

O Centro da ONU de Assentamentos Humanos, ONU-Habitat, voltou a
defender a promoção de cidades mais verdes.

A declaração foi feita pela chefe do ONU-Habitat no Brasil, Cecilia
Martinez, durante uma conferência para
marcar o Ano Internacional da Biodiversidade.


Questão Social
"Hoje se fala mais do que nunca na questão das cidades sustentáveis.
Nós não podemos continuar com este tipo de desenvolvimento. Temos que começar a mudar na questão da economia, do emprego, do consumo. E pensar que cada ação que

fazemos na economia, na questão social temos que pensar mais em ações verdes",
disse.

*Reportagem: Soloni Rampin e Valeria Schilling, Unic-Rio.

O Mundo

Nosso planeta foi criado para ensinar à alma o equilíbrio entre o mundo espiritual e o mundo físico. Muitos se esqueceram de que somos essencialmente seres espirituais com consciência criadora. Somente por meio do esforço combinado de todos aqueles que vêem com clareza, é que consiguiremos elevar o nível de consciência presente e, assim, tornar a Terra um lar mais leve.

 Milhões de pessoas no nosso globo estão se tornando conscientes de que estamos vivendo em uma crise espiritual e ecológica. Uma reflete a outra. Como não fomos ensinados sobre o amor, não temos acesso ao amor que habita nosso eu interior; passamos então a desonrar a terra, os oceanos, os rios e os lagos, contaminando a atmosfera com gases venenosos, demonstrando pouco, ou nenhum amor pelas coisas vivas. Nossa falta de equilíbrio e de acesso ao divino está refletida em toda parte; os danos que causamos à Terra se constituem num dos espelhos mais expressivos desse fato.

 O Universo e o mundo não existem por acaso ou pelo que as pessoas chamam de evolução natural, mas existem por força da intenção e do fogo criador de todos os seres vivos do Universo. Juntos, nós compomos Deus; cada um de nós tem habilidades, energia, desejos e amor. A questão é o que estamos fazendo com essas qualidades. Estamos compatilhando energia e ajudando a construir um mundo melhor para todos, ou estamos usando nossas qualidades para controlar o mundo ao nosso redor?

Robert Happé

7 de fevereiro de 2011

Você, eu e o mundo

Um mundo melhor no futuro se faz agora. Conscientize-se, reduza seu consumo, reutilize antes de descartar, descarte adequadamente. Polua menos e tenha mais plantas à sua volta. Reveja seus valores.

Consuma produtos locais sempre que possível. Quando o alimento não precisa viajar por grandes distâncias por estradas ou pelo ar, menos gases de efeito estufa são emitidos durante o transporte até o mercado.
Pense antes de comprar. Produza seu próprio alimento sempre que possível. Junte-se a seus vizinhos, forme grupos de trabalho, crie alternativas... [O total de 30,8 bilhões de toneladas de dióxido de carbono emitidos em 2009 foi o segundo mais alto da história humana, abaixo somente das emissões de 2008]